TÉCNICA DE HIGIENE DENTÁRIA

 

A higiene dentária deve ser feita para eliminar ou diminuir a placa bacteriana (concentração de bactérias nas superfícies dentais) e detritos alimentares, evitando assim o aparecimento de cáries e/ou problemas periodontais (problemas gengivais).

A escovação e o uso do fio dental, são os métodos mecânicos mais utilizados para remover placa bacteriana, restos alimentares, estimular os tecidos gengivais e aplicar o creme dental. Para tornar a escovação mais eficiente, é necessário que o paciente utilize corretamente uma técnica de escovação, que tenha freqüência e duração, e que escolha um modelo adequado da escova dental.

Existem várias técnicas de escovação envolvendo diferentes combinações de movimentos horizontais, verticais e rotatórios. Na técnica que recomendamos, posicione as cerdas da escova em uma angulação de 45º em relação ao dente, em direção à gengiva, fazendo movimentos circulares envolvendo dente e gengiva, assim promoverá limpeza dental e estimulação gengival. Existem diferentes modelos de escovas dentais, e suas vantagens clínicas são difíceis de estimar devido a grande variação na freqüência, estilo e pressão de escovação. Escovas com cerdas macias, cabeça de tamanho pequena e cabos mais longos, estão relacionados com melhor eficácia de escovação e maior aceitação pelo paciente.

Existem também as escovas elétricas, que foram introduzidas nos anos 60, mas com os progressos da tecnologia foram aperfeiçoadas com novos desenhos e movimentos diferentes como rotação, oscilação e vibração. As vantagens das escovas elétricas são: diminuição da força de escovação e aumento da cooperação do paciente. A escovação é feita nas faces livres dos dentes (vestibular ou bucal, palatina ou lingual e oclusal), nas regiões interproximais (onde o dente anterior está em contato direto com o dente posterior), a higienização deve ser feita com o uso do fio ou fita dental, tanto para adultos como para crianças. A utilização de passador de fio dental auxilia a execução da limpeza principalmente em pacientes portadores de aparelhos ortodônticos fixos ou pacientes com próteses fixas que contenham pônticos (dentes suspensos na prótese fixa).

Um aumento gradual dos espaços interproximais ocorre como conseqüência da perda do suporte periodontal provocada pela doença periodontal. Com a terapia periodontal há uma remodelação óssea, o edema (inchaço) das papilas é diminuído e o espaço interdental, conseqüentemente é aumentado. Nestas condições o uso de escovas interdentais é indicado devido sua maior eficiência. O tipo e tamanho da escova interdental deve ser selecionado de acordo com o espaço interdental.

Como auxiliar na escovação temos os dentifrícios (pastas dentais), onde seus fabricantes tem alardeado efeitos antibacterianos, branqueadores, anti-tártaro, e outros. Embora os dentifrícios auxiliem nos itens mencionados, a eficácia da limpeza dental depende basicamente da qualidade da escovação feita pelo paciente.


Categoria: Higienização

Publicado em: